Estilo Angélica traz receitas para curtir o aniversário de São Paulo

Chef Natália dos Santos ensina pratos tradicionais de uma das cidades mais democráticas do Brasil

Foto: Pixabay

Foto: Pixabay
São Paulo foi fundada por jesuítas

São Paulo completa nesta quarta-feira (25 de janeiro) 463 anos de fundação. A data marca a celebração da primeira missa no então planalto de Piratininga, terra escolhida pelos padres jesuítas José de Anchieta e Manoel da Nóbrega para iniciar o processo de catequização dos índios, com a construção do Colégio de Jesuítas.

Ao longo de sua história, São Paulo se tornou uma das cidades mais democráticas do País, abrigando culturas de vários lugares. Entre os resultados, São Paulo é citada como uma das mecas da gastronomia do País e do mundo.

A seguir, receitas que são a cara da cidade aniversariante fornecidas pela Unilever (dona das marcas Maizena, Knorr, Hellmann´s, Becel, entre outras) e assinadas pela chef Natália dos Santos. O Estilo Angélica traz ainda para você leitor referências sobre locais e histórias que acompanham as receitas.

DELÍCIAS

O sanduíche de mortadela surgiu Mercado Municipal de São Paulo, o Mercadão, a partir de 1933, quando começou a ser feito no Bar do Mané por imigrantes portugueses da família Loureiro. A ideia foi criar refeição rápida para trabalhadores que não tinham muito tempo para almoçar. Mas foi só a partir de 1970 que o lanche ganhou o tanto de recheio que possui hoje, após um cliente reclamar da falta de fatias no seu. Para ele parar de falar, o restaurante encheu o pão com recheio extra e fez assim nascer a tradição.

Já o cuscuz paulista, típico do interior do Estado, é uma das poucas receitas ‘caipiras’ incorporada ao cardápio dos restaurantes da Capital. No entanto, ele não tem origem brasileira. Deriva do cous cous africano, que surgiu na região do Magreb (que compreende Tunísia, Marrocos e Argélia). Há registros de que o cuscuz já era preparado dois séculos antes de Cristo.

Outra tradição paulistana é o café, principal produto de exportação da economia brasileira durante o século XIX e o início do século XX. Na região, a produção cafeeira beneficiou-se do clima e do solo propícios ao seu desenvolvimento e criou um dos maiores mercados mundiais de café da época.

RECEITAS

pão com mortadela

Fotos: Divulgação
Lanche surgiu no Mercado Municipal

Sanduíche de mortadela

Rendimento: 2 porções

Tempo de preparo: 10 minutos

Ingredientes

2 colheres (sopa) de maionese

4 fatias de mortadela

8 fatias de queijo prato

2 pães franceses cortados ao meio cortados ao meio no sentido horizontal

Ketchup

Modo de preparo

Espalhe a maionese pela parte interna dos pães.

Disponha as fatias de mortadela e queijo prato.

Saboreie cada mordida com ketchup.

 

cuscuz

Cuscuz é típico do interior do Estado

Minicuscuz paulista

Rendimento: 6 porções

Tempo de preparo: 1h25

Ingredientes

1 colheres (sopa) de azeite

Meia cebola pequena picada

Meio pimentão vermelho picado em cubos pequenos

2 colheres (sopa) de milho

3 colheres (sopa) de ervilha fresca

Meia xícara (chá) de palmito cortado em meia lua

1 colher (sopa) de salsinha picada

Meia xícara (chá) de polpa de tomate

1 cubo de caldo de legumes

1 xícara (chá) de água

1 xícara (chá) de farinha de milho em flocos

6 tomates cereja cortados ao meio

1 ovo cozido cortado em rodelas

Modo de preparo

Em uma panela, aqueça o azeite, junte a cebola e refogue por 2 minutos;

Acrescente o pimentão, o milho, a ervilha, metade do palmito e a salsinha, cozinhando por mais 2 minutos;

Adicione a polpa de tomate, o cubo de caldo de legumes e a água, misturando bem;

Vá acrescentando a farinha de milho, aos poucos, mexendo sempre, por cerca de 5 minutos ou até que a farinha esteja totalmente cozida e comece a desprender da panela;

Retire do fogo e distribua o cuscuz, com auxílio de uma colher, em 6 formas pequenas de furo central (7,5 cm de diâmetro) untadas;

Se preferir, decore com o tomate em rodelas e com os ovos, após isso deixe amornar.

Desenforme o cuscuz e sirva em seguida.

#DicaDeChef:

Para facilitar o preenchimento dos potes com o cuscuz, umedeça a colher ou utilize um saco de confeiteiro (sem bico).

Se preferir, deixe os tomates inteiros, assim soltarão menos água e aumentará a durabilidade da receita.

 

rocambole café

Café é até hoje produto de exportação

Rocambole de chocolate com café

Rendimento: 6 porções

Tempo de preparo: 1 hora

Ingredientes

3 colheres (sopa) amido de milho

1 xícara de leite

2 colheres (chá) de café solúvel

3 colheres (sopa) de açúcar

3 colheres (sopa) de creme vegetal

2 gemas

3 claras

6 colheres (sopa) de açúcar

6 colheres (sopa) de farinha de trigo

6 colheres (sopa) de chocolate em pó

Modo de preparo

Recheio

Em uma panela, dissolva o amido de milho no leite, Junte o café e o açúcar e misture até ficar homogêneo. Leve ao fogo médio, mexendo sempre, até engrossar. Retire do fogo e acrescente o creme vegetal, misturando rapidamente. Reserve.

Massa

Unte e forre com papel-manteiga uma assadeira média (33 x 23 cm). Reserve.

Pre-aqueça o forno em temperatura média (180°C).

Na batedeira, bata as gemas, as claras e o açúcar até obter um creme fofo. Retire da batedeira, peneire a farinha e o chocolate em pó, incorpore na massa delicadamente com uma espátula.

Acomode a massa na assadeira e tente deixa-la bem fina com a ajuda de uma espátula, asse no forno de 5 a 10 minutos. Retire do forno e deixe esfriar. Recheie com o creme de café e enrole o rocambole, repita o processo com o restante da massa.

Sirva em seguida.

#DicaDeChef: Se preferir, substitua o chocolate por cacau em pó.

Posts relacionados

Deixe um comentário: