Carla Morando lança Frente Parlamentar pelo Desenvolvimento do Setor Têxtil e de Confecções do Estado

Gostou? Clique e Compartilhe:

ESTILO ANGÉLICA – O ABC DO MELHOR PARA VOCÊ


Com o auditório Paulo Kobayashi lotado, a deputada estadual Carla Morando (PSDB) lançou, nesta quinta-feira (03/10), a Frente Parlamentar pelo Desenvolvimento do Setor Têxtil e de Confecções do Estado de São Paulo. A abertura do evento foi feita pelo presidente da Assembleia Legislativa, Cauê Macris.


Carla Morando na Assembleia Legislativa“Reconheço a importância dessa Frente Parlamentar e estou muito feliz em ter a deputada Carla Morando, como coordenadora. Ela tem feito um excelente trabalho aqui na Alesp, o ato vem em bom momento e irá favorecer todo o nosso Estado”, disse o presidente da Alesp.

O ato também contou com a presença da secretária Estadual de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, do presidente da Sinditêxtil, Luiz Arthur Pacheco, o presidente da Sinditec, Dilézio Ciamarro, o vice-presidente do Sindivestuário, Antônio Trombeta, empresários e representantes do setor e de sindicatos de trabalhadores.

Ao todo, a Frente Parlamentar conta com 81 deputados estaduais, entre membros e apoiadores. O grupo de trabalho tem o objetivo de debater a importância do setor têxtil e de confecções no Estado de São Paulo. A Frente irá abordar a importância da indústria, sua capacidade de investimentos, geração de empregos, a luta contra a concorrência desleal de produtos ilegais, importações predatórias e a sonegação fiscal.


“São Paulo pode ser considerado como o berço do setor têxtil. O Estado representa quase 30% do faturamento nacional. É o segmento que mais gera empregos e o que mais emprega as mulheres. É um campo extremamente forte e com grande potencial de crescimento. Estou muito feliz por ser porta-voz do setor aqui na Alesp”, explicou Carla.


Segundo dados do Sindicato da Indústria Fiação Tecelagem do Estado de São Paulo (Sinditêxtil), o Estado conta com oito mil empresas atuantes, que geram um investimento de R$ 42 bilhões, 455 mil empregos diretos, R$ 580 milhões em investimento, U$ 301 milhões em exportação e U$ 1,4 bilhão em exportação.
Porém, apesar do desenvolvimento, o setor apresenta dificuldades devido à grande variedade e vantagens, entre o mercado nacional e internacional. Com isso, o setor acaba sendo obrigado a lutar em uma competição, muitas vezes desleal, em relação a custos e tributos.
 “O nosso Estado detêm da melhor mão de obra, a melhor infraestrutura e os melhores salários. Mas, precisamos resgatar, ainda mais a competitividade do setor Têxtil e de Confecção paulista. Eliminando distorções competitivas, visando fomentar ainda mais as nossas potencialidades”, salientou o presidente da Sindtêxtil.

INVESTIMENTO DO GOVERNO – Durante o ato, a deputada Carla Morando ainda salientou os avanços e planos do Governo para atrair cada vez mais investidores. “Sei o quanto o governador João Doria está atuando em prol do Estado, para fortalecer a indústria e elevar e economia. Precisamos vestir a camisa dessas empresas, oferecer mais aporte, condições de competitividade e desenvolvimento”, concluiu a líder do PSDB.

Foto e texto: Divulgação


Logotipo (1)

 

Gostou? Clique e Compartilhe:

Posts relacionados

Deixe um comentário: